Charuto Montecristo 1935 – Dumas

Hoje vou degustar esse lançamento da Montecristo, o charuto Montecristo Línea 1935. Foram lançadas três bitolas e a que vou degustar a bitola mais fina, o Dumas.

A ideia da Montecristo ao lançar esse charuto foi colocar o blend tradicional dos primeiros charutos Montecristo que eram feitos com tabaco mais encorpados, hoje em dia, para agradar um número maior de degustadores, a fábrica deu uma leve suavizada no blend, que hoje é considerado de médio para forte. Essa linha 1935 traz de volta o blend original, mais forte, ou seja, já podemos esperar sabores mais intensos.

Mas vamos a degustação. O charuto é muito bem construído, a capa é bem lisa e brilhante e as anilhas extras mostram o cuidado que tiveram com esse lançamento. O aroma a frio está uma delícia, exalando um quê de frutos secos e cedro.

O tiro já mostra um tabaco mais intenso, muito saboroso, com uma boa impressão no palato e uma leve pimenta. No aroma sinto o cedro e um pouco de couro.

No segundo terço o charuto continua bem intenso e saboroso, mas a bitola é fina, por isso o charuto se mostra bem equilibrado.

Chegamos ao terceiro terço e o tabaco continua intenso mas sem nada de agressividade, a fumada é redonda e macia, a fumaça é abundante e a queima é perfeita, muito aroma de madeira e um retrogosto agradável.
O charuto é simplesmente fantástico: aromático, cheio de aromas secundários e um sabor que encanta, a bitola proporcionou uns 50 minutos de uma degustação muito luxuosa. Nota 9,6.

9.6

Excelente

Esqueceu a senha